Entenda um projeto com Sinalização de Emergência


A Sinalização de Segurança contra Incêndio e Pânico tem como objetivo reduzir o risco de ocorrência de incêndio, alertando para os riscos existentes e garantindo que sejam adotadas medidas adequadas à situações de risco, que orientem as ações de combate e facilitem a localização dos equipamentos e das rotas de saída para abandono seguro da edificação em caso de incêndio.

Para a realização deste tipo de projeto, a alocação da sinalização deverá estar de acordo com a Instrução Técninca Nº 20/2017 – Sinalização de Emergência do Corpo de Bombeiros Militar do Estado da Bahia. É importante destacar que todas as realizações neste tipo de projeto, deverá estar em consideração a Instrução Técnica citada.

1. Classificação da Sinalização

A sinalização de segurança contra incêndio e pânico é classificada em sinalização básica e complementar.

1.1. Sinalização Básica

A sinalização básica é constituída por quatro categorias, de acordo com a sua função, descritas a seguir:

a) Sinalização de proibição, cuja função é proibir ou coibir ações capazes de conduzir ao início do incêndio ou ao seu agravamento; b) Sinalização de alerta, cuja função é alertar para áreas e materiais com potencial risco; c) Sinalização de orientação e salvamento, cuja função é indicar as rotas de saída e ações necessárias para o seu acesso; d) Sinalização de equipamentos de combate e alarme, cuja função é indicar a localização e os tipos de equipamentos de combate a incêndio disponíveis.

Obs.: As sinalizações c) e d) devem apresentar efeito fotoluminescente. Os recintos destinados a reunião de público sem aclaramento natural ou artificial suficiente para permitir acúmulo de energia no elemento fotoluminescente das sinalizações de saída devem possuir sinalização iluminada com indicação de saída (mensagem escrita e/ou símbolo correspondente), sem prejuízo ao sistema de iluminação de emergência de aclaramento de ambiente.

1.2. Sinalização Complementar A sinalização complementar é composta por faixas de cor ou mensagens, devendo ser empregadas nas seguintes situações:

a) Indicação continuada de rotas de saída; b) Indicação de obstáculos e riscos de utilização das rotas de saída, como pilares, arestas de paredes, vigas etc.; c) Mensagens escritas específicas que acompanham a sinalização básica, onde for necessária a complementação da mensagem dada pelo símbolo; d) Demarcações de áreas. OBS: A sinalização complementar do tipo C1 deve ser sempre na medida 200mm x 70 mm.

2. Passo-a-Passo: Implantação

Os diversos tipos de sinalização de segurança contra incêndio e pânico devem ser implantados em função de características específicas de uso e dos riscos, bem como em função de necessidades básicas para a garantia da segurança contra incêndio na edificação.

A princípio, a sinalização básica deve estar presente em qualquer tipo de edificação onde são exigidas, por norma ou regulamentação, saídas de emergência de uso coletivo e instalação de equipamentos e sistemas de proteção contra incêndio.

Para aprender mais sobre a sinalização de emergência e sobre a sua implementação, clique no botão abaixo e tenha o nosso manual de Sinalização de Emergência.


0 visualização

FUNCIONAMENTO 

Segunda a sexta 

De 08h às 18h

Escola Politécnica da UFBA, 6º andar,

Rua Aristides Novis, 02, Federação

CEP 40210-630 - Salvador - Bahia - Brasil

CONTATO

  • Instagram
  • LinkedIn ícone social